terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Libertação

De repente tudo vai ficando tão simples que assusta.
A gente vai perdendo as necessidades, vai reduzindo a bagagem.
As opiniões dos outros, são realmente dos outros, e mesmo que sejam sobre nós, não tem importância.
Vamos abrindo mão das certezas, pois já não termos certeza de nada. E, isso não faz a menor falta.
Paramos de julgar, pois já não existe certo ou errado e sim a vida que cada um escolheu experimentar.
Por fim entendemos que tudo o que importa é ter paz e sossego, é viver sem medo, é fazer o que alegra o coração naquele momento. 
E só.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Saudades

Ainda falando em 'portas' .... hoje estou saudosista e filosófica, mas com muita fé que negócios maravilhosos acontecerão comigo brevemente... 
#fé #força #foco @deusnocomando #natimusbeauty

SAUDADES


"Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.


Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e
até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada; se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial;

se ela aprendeu a estacionar entre dois carros;
se ele continua preferindo Malzebier;
se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados;
se ele continua cantando tão bem;

Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;
Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.



Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer;
Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler... "


By Miguel Falabella

(Texto publicado no Jornal "O Globo")



ABRIR OU FECHAR PORTAS?


Com certeza prefiro abri-las!
Abrir as portas da alma,
Abrir as portas do sorriso,
Abrir as portas do coração,
Abrir as portas do amor,
Abrir as portas da paixão,
Abrir as portas do eu,
Abrir passagem para que a vida flua!

Nunca gostei de fechar portas!
Fechando as portas da alma,
posso deixar Deus para fora!

Fechando as portas do sorriso,
posso perder um amigo!

Fechando as portas do coração,
posso me tornar insensível!

Fechando as portas do amor,
posso não mais encontrar o caminho para outro amor!

Fechando as portas para a paixão,
fecharei a luz que alimenta a vida!

Fechando as portas do eu,
corro o risco de me trancar do lado de fora!

Fechando as passagens,
a vida se encerra na amargura; porque ao fechar tantas portas nós nos fechamos também! 




Por isso creio em portas abertas, em sentimentos alados, que voam como as andorinhas para outras paragens quando o inverno lhes é rigoroso! Sempre em nossas vidas teremos a vontade de virar a página, de fechar a porta, porém o que foi escrito continuará escrito e mesmo de porta fechada nós sabemos o que se esconde por traz dela! 


Concordo que as portas foram feitas para serem abertas e fechadas ao nosso bel querer ou prazer, porém as portas da vida não, porque a partir do momento em que foram abertas nunca mais serão as mesmas, mesmo fechadas, pois sentimentos não se apagam, não se escondem, não se esquecem! 





Daí eu crer em transpor os portais, porém nunca fechar as portas,
virar a página, mas sempre na certeza de que nunca as apagarei, seja da memória, do peito ou da vida! 


Renovar é preciso, mas sem perder o prumo, o ponto de partida, pois afinal cada fato de nossas vidas, de bem ou de mal, é um degrau que subimos em busca do aperfeiçoamento do ser e da plena liberdade; mas como ser livre se fecho as portas? 




Que você encontre no seu dia muitas portas abertas.


(Autoria de Rosamaria Cabral)

Filosofando

"Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. 
Se a meta está alta demais, reduza-a. 
Se você não está de acordo com as regras, demita-se. 
Invente seu próprio jogo. 
Faça o que for necessário para ser feliz. 
Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade."
(Desconheço autor)


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Casamento

Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.

Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.

Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.

Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.

Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.

Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.

Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.

Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.

Por Diego Engenho Novo


Fecha a BOCA!

Vai comprar casa? Fecha a boca.  🙊 Vai comprar carro? Fecha a boca.  🙊 Vai se casar? Fecha a boca.  🙊 Vai viajar? Fecha a bo...